segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Museu Nacional: risco de incêndio foi denunciado duas vezes ao MP


No domingo passado (2), o Museu Nacional pegou fogo, perdendo artigos importantes e essenciais da história do Brasil. Reportagem do Fantástico veiculada neste domingo (9), mostra que o Ministério Público havia recebido duas denúncias sobre o risco de incêndio. O Museu fazia parte da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e sofria com falta de verbas para restauro e conservação do imóvel. No fim de julho passado, o Ministério Público (MP) recebeu uma denúncia anônima de alguém que se apresentou como arquiteto, informando sobre as condições precárias do prédio e o risco iminente de uma tragédia, além de fotos de "gambiarras" e fios desencapados.

No dia 4 de novembro de 2016, a diretora do Museu, Cláudia Rodrigues Carvalho, enviou ofício ao MP informando que o Museu estava com a quase totalidade do telhado recuperado, a parte elétrica havia sido reestruturada, novos quadros de força implantados, pára-raio instalado, a fachada frontal e o pátio interno central havia sido restaurados e o prédio contava com extintores de incêndio e monitoramento por câmeras. As reformas foram feitas após uma denúncia feita pelo arqueólogo e historiador Cláudio Prado de Mello, também enviada ao MP, que relata que as condições do prédio sempre foram muito precárias e que nem o Museu Nacional, nem outros seis museus, possuem alvará de funcionamento do Corpo de Bombeiros.

O atual diretor, Alexander Kellner, que assumiu o cargo no início deste ano, afirma que não havia nenhum motivo para suspeita de que houvesse problema na parte elétrica e que não havia fios desencapados no prédio. O Ministério Público chegou a entrar em contato com a UFRJ, que pediu mais prazo para responder. "Nesse meio tempo, o museu pegou fogo", afirma Solange Braga, procuradora da República do RJ. "Erramos", finaliza a procuradora, afirmando que se o MP tivesse sido mais duro, talvez o Museu ainda estivesse inteiro.

4 comentários:

  1. Tudo administrado por comunistas, no caso do Museu o PSOL, a tendência é a destruição ou falência. Vejam os exemplos dos Correios e Petrobrás.O primeiro antes dos petistas chegarem ao poder, era considerado como um dos mais eficientes do mundo, uma carta era entregue em menos de 5 dias, hoje leva entre 15 e 25 dias, quando chega ao destino. A Petrobrás estava entre as 10 maiores empresas do mundo,depois dos petistas, hoje nem entre as 100 maiores ela se coloca. Ainda tem gente que vota no PT.

    ResponderExcluir
  2. Olhem gente o q sempre falo aqui ,toda destruição do patrimônio Brasileiro quem era o diretor eram os vermelhos maldutis e tudo o q eles ticam vira pó nesse caso incendiaram coincidência depois do resultado da inpugnação da candudatura do sapo barbudo comunista lula viu ???é delíriu meu ????claro que não e a imprensa podre apoia em tudo sabem porquê???? A imprensa maldita devem muito aos cofres públicos $$$$$ nossos $$$$$$$$ do trabalhador

    ResponderExcluir
  3. Olhem gente o q sempre falo aqui ,toda destruição do patrimônio Brasileiro quem era o diretor eram os vermelhos maldutis e tudo o q eles ticam vira pó nesse caso incendiaram coincidência depois do resultado da inpugnação da candudatura do sapo barbudo comunista lula viu ???é delíriu meu ????claro que não e a imprensa podre apoia em tudo sabem porquê???? A imprensa maldita devem muito aos cofres públicos $$$$$ nossos $$$$$$$$ do trabalhador

    ResponderExcluir
  4. SINAL QUE O SISTEMA VAI ANDANDO MUITO BEM IMAGINE SE NÃO FOSSE DENUNCIADO.

    ResponderExcluir