quarta-feira, 1 de agosto de 2018

Manifestação contra o feminicídio lembrará do assassinato de Maria Aparecida, em Itabuna

Para o próximo dia 8, quarta-feria, está sendo organizada uma manifestação com o título de “Marcha nem uma a menos – basta de feminicídio”, em memorial aos dois meses do assassinato da comerciária Maria Aparecida Santos Reis, em Itabuna.

Segundo os organizadores, o agrupamento se encontrará no Jardim do Ó, ás 15:00 horas. E algumas instituições da sociedade civil, como o Sindicato dos Bancários e órgãos de proteção à mulher estarão envolvidos.

Cida, como era mais conhecida, foi morta á tiros dentro de um ônibus urbano pelo comerciante Francisco Bento Rodrigues Neto, conhecido como "Netão da Farinha", seu ex-namorado, que logo depois se suicidou usando a mesma arma.

A motivação do crime: Ele não aceitava o fim do relacionamento, fazia três meses. A comerciária, que tinha 33 anos, deixou três filhos. O feminicídio teve ampla repercussão em Itabuna e ainda permanece com índices preocupantes. A vítima, indefesa, foi atacada indo ao trabalho, depois de insistir que não aceitava mais o reatamento do namoro.

Baleada, Maria Aparecida faleceu horas depois no hospital, depois de submeter-se a uma cirurgia, que não resistiu. Francisco morreu na hora, dentro do ônibus.

Link relacionados:


9 comentários:

  1. Alguém me responde por favor, no q adianta passeatas contra feminicidio? Isso é pra sensibilizar os homens futuros assassinos? Qual a finalidade?
    Vcs e a sociedade tem q se juntar pra encontrar uma forma real de pelo menos diminuir os índices. O homem q não aceita ser rejeitado precisa de acompanhamento psicológico e quem sabe psiquiátrico tb. Muitos estão com depressão, a mulher não suporta mais ele por conta disso, mesmo sem saber da situação dele, pq normalmente os sintomas são de autoestima baixa, irritacao e vontade de morrer aí começa se jogar nas drogas, no álcool e um dia q a mulher não suporta e da xau, ele faz isso. As pessoas estão precisando de ajuda psicolopsic pra superar suas frustrações e dores ninguém enxerga isso?
    Se fizessem acompanhamento psicológico nesse casal, eu duvido q o fim seria esse.
    Acorda sociedade! O governo nao ta nem ai pra te dar o suporte necessário q vcs têm direito e será custeado com o dinheiro de seus impostos. Vcs tem q fazer passeata pra exigir isso dos q se dizem governantes do nosso dinheiro.

    ResponderExcluir
  2. Mulher é presa suspeita de encomendar a morte do ex-marido em Ilhéus;

    att- quem vai ao protesto pelo HOMICÍDIO?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Já ouviu falar de uma coisa chamada estatística? Se alguém te matar configura tolicídio?

      Excluir
  3. esta foto me lembra a Beth Goulart

    ResponderExcluir
  4. Precisamos que os governantes cumpram seu papel com caráter e respeito , olhem para o povo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. matou,provou que é culpado, pena de morte já. matou tem que morrer. direitos iguais para vítima e agressor.

      Excluir
  5. SÓ digo uma coisa quem morreu foi ela e nada foi feito porque criminoso cometeu suicídio e mesmo que ele estivesse vivo não ia da nada a justiça do nosso Brasil e fraca lei arcaica isso sim

    ResponderExcluir
  6. Peço aos senhores manifestantes que lembrem da morte de Cátia Cristina de Camacan, pois o acusado continua solto e o desembargador responsável pelo caso só vive de adiar a decisão. Alô Polícia Federal a família clama pelos seus reelevantes serviços neste caso, pois a conversa do réu aqui em Camacan é feia...s.o.s!

    ResponderExcluir
  7. Essa delegacia da mulher em itabuna não faz é nada!!! Fica aquele monte de gente lá com a cara pro ar dizendo que estão trabalhando

    ResponderExcluir