quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Alimentos têm queda de preço e ajudam a segurar inflação em julho

Alimentos e bebidas tiveram queda de preços de 0,12% em julho. O grupo de despesas, que havia apresentado alta de preços de 2,03% no mês anterior, foi um dos principais responsáveis pelo recuo da taxa oficial de inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de junho para julho. 

Segundo dados divulgados nesta quarta-feira (8) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IPCA, que é considerado pelo governo federal a inflação oficial do país, recuou de 1,26% em junho para 0,33% em julho. 

Entre os produtos com queda de preços, destacam-se a cebola (-33,5%), batata-inglesa (-28,14%), tomate (-27,65%), frutas (-5,55%) e carnes (-1,27%). Apesar da queda média dos alimentos, a alimentação fora de casa passou a custar 0,72% em julho. “Isso se explica pelas férias, que aumentam a demanda por esse tipo de consumo, e pela Copa do Mundo, quando tradicionalmente as pessoas se reúnem fora de casa, em bares e restaurantes, pra assistir os jogos", disse o gerente da pesquisa, Fernando Gonçalves. *Da Agência Brasil 

2 comentários:

  1. se o povo não tem mais recursos nem emprego, pois, o que restava do tempo de lula/dilma está escasso ou totalmente acabado, não se pode botar nada mais na mesa. quem dirás fazer feira mensal ou semanal como faziamos no governo do PT onde a fartura e a família tinha progresso no que fazia. hoje somente a elite está de bolsos cheios.

    ResponderExcluir
  2. ISSO E BALELA O ´POBRE QUER E FEIJAO FRANO CARNE ARROZ FARINHA AGUA LUZ GAS ISSO SIM TA ALTISSIMO LASCANDO COM O POVAO DE BAIXA RENDA FRUTAS NAO ENTRA NA MESA PORQUE NAO SOBRA UM CENTAVO OU AS VEZES NEM TEM PARA COMPRR

    ResponderExcluir