sábado, 25 de agosto de 2018

Empresário é preso com dezenas de comprimidos de ecstasy em Vitória da Conquista; droga seria vendida em Festival de Inverno, diz polícia

Drogas e relógios sem nota fiscal foram apreendidos com empresário (Foto: Divulgação/Polícia Civil)
Um empresário de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, foi preso em flagrante com dezenas de comprimidos de ecstasy, na manhã deste sábado (25). De acordo com a Polícia Civil, a droga seria vendida no Festival de Inverno da cidade.

Glauber Menezes de Oliveira, conhecido como Binho, tem 32 anos e é dono de um restaurante, onde ele foi encontrado com a droga. A polícia informou que o estabelecimento do suspeito possui um quiosque no festival, onde os comprimidos seriam comercializados.
Ainda segundo a polícia, no apartamento de Glauber foram encontrados também uma pequena porção de maconha, um carro que era usado para levar as drogas comercializadas e uma coleção de relógios de grife, sem notas fiscais.

Levado para a delegacia, Glauber confessou ser dono das drogas. Ele prestou depoimento e foi levado para o Conjunto Penal de Conquista, onde ficará à disposição da Justiça. Ele deve responder pelo crime de tráfico.

10 comentários:

  1. Empresário nada, chamar um vagabundo desse de empresarie, é uma vergonha para Homens e Mulheres que a tantos anos vem lutando honestamente.
    Traficantes de drogas são jente das piores espécimes, são grandes causadores das mazelas do nosso país.

    ResponderExcluir
  2. PERFIL TÍPICO DAQUELES QUE BATERAM PANELAS CONTRA A CORRUPÇÃO OU FAZEM PASSEATAS PEDINDO INTERVENÇÃO MILITAR. COISA DE COXINHA MESMO.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Va se tratar, doente. Dá pena de gente que nem voce!!!

      Excluir
    2. otário burro amestrado pelo PT

      Excluir
  3. Engraçado, dias atrás um cara foi preso por roubar chocolate e a” cara” dele foi mostrada aqui, mas esse que foi preso com droga pesada saiu de costas... “Dois pesos e duas medidas “.
    Não estou culpando o Verdinho pois sei que o fato ocorreu em VCA e que vcs publicaram o que tiveram acesso, minha crítica vai para a justiça brasileira, que trata de forma diferente quem tem dinheiro.
    Ainda tem gente que defende a “pena de morte” no Brasil, só ia morrer “pobre “, pois quem tem dinheiro no Brasil é tratado como estrela.

    ResponderExcluir
  4. E rosse um pobre de cristo que tivesse roiba do pra mmat a fome vcs mostravam a cara

    ResponderExcluir
  5. Então fecha tds farmácia e tds cientistas que fabrica tds as drogas do mundo . Por isso que os jovens estão morrendo

    ResponderExcluir
  6. Me economize essa criatura do segundo comentário. Deve ser defensor do presidiário que quer voltar para a presidência para roubar mais!

    ResponderExcluir
  7. Se fosse um neguinho vendendo maconha era TRAFICANTE, más quem tem uma condição melhor é EMPRESÁRIO.
    Me bata uma garapa de limão balão.

    ResponderExcluir