terça-feira, 12 de junho de 2018

Ministro da Cultura deverá pedir demissão

O ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, deverá colocar hoje (12) seu cargo à disposição. Sérgio Sá cancelou o compromisso que teria no Rio de Janeiro. O ministro divulgou mais cedo uma nota oficial em que classificou de “equívoco” a decisão do governo, efetivada via medida provisória (MP), que transfere recursos da Cultura para o recém-criado Sistema Único de Segurança Pública (Susp).

A reação do ministro da Cultura pegou de surpresa seu colega de ministério Raul Jungmann (Segurança Pública). O Palácio do Planalto ainda não se manifestou sobre o episódio.

Em sua nota, Sérgio Sá antecipa um breve balanço de sua administração. “Em quase um ano de trabalho, esta gestão revitalizou o MinC e implementou uma política pública de cultura eficiente e eficaz, de Estado e não apenas de governo, com resultados concretos para o setor e a sociedade, a despeito da exiguidade de recursos”, afirmou.

Segundo o ministro, a MP assinada ontem (11) pelo presidente Michel Temer “põe em risco esta política e penaliza injustamente o setor cultural”. Ele prometeu lutar contra a proposta do governo no Congresso. “Esperamos que o Congresso Nacional modifique a MP. Trabalharemos incansavelmente por isso. Trata-se de um imperativo ético”, acrescentou.

As críticas de Sérgio Sá Leitão focam a MP 841, que criou o Fundo Nacional de Segurança Pública. Segundo ele, a medida reduz “drasticamente” a participação do Fundo Nacional de Cultura na receita das loterias federais. Ainda de acordo com os dados do ministro, o percentual, que era de 3%, poderá cair a partir de 2019 para 1% e 0,5%, dependendo do caso.

“Trata-se de uma decisão equivocada, que não tem o apoio do Ministério da Cultura”, disse. “Reduzir os recursos da política cultural é na verdade um incentivo à criminalidade, não o oposto. Mais cultura significa menos violência e mais desenvolvimento.”

Sérgio Sá reconheceu que o investimento em segurança pública é “crucial neste momento crítico que o país vive”. Mas ressaltou que o “combate à violência urbana não deve se dar em detrimento da cultura”. (Com informações da Agência Brasil)

3 comentários:

  1. Essa foto não é do Ministro da Cultura Sérgio Sá Leitão e sim o ex-ministro Marcelo Calero que pediu demissão e, 2016 ao ser pressionado pelo Geddel Vieira para liberar a construção de um edifício em Salvador

    ResponderExcluir
  2. Tomara que todos os ministérios tenham verbas para usar em suas pastas, mas diante da necessidade de se manter a secretária de segurança funcionando, tomara que seja temporário, mas eu prefiro a segurança funcionando do que gastar verba com cultura que patrocina homem nú em museu para crianças passarem a mao no corpo dele. Busquem verba e patrocínio com empresas privadas, utilizem-se da fama para atrelar e incorporar lucros para manter-se.

    ResponderExcluir
  3. nesse país a cultura que temos é anita mostrando o rabo como a vagabunda que ela é, o funck que é a matriz de vendas pra vagabundos e vagabundas, as novelas da globo pra quem não tem o que fazer e a seleção brasileira que serve pra esconder a realidade que o país atravessa, só vejo essas culturas somente.

    ResponderExcluir